Eleições

Por Rafael Braga, em 21/10/2012 às 17:39  

Até onde vai o efeito Lula?

Tamanho da fonte: a-a+

Muito se fala sobre o tal “efeito Lula”, ou seja, a capacidade do ex-presidente Lula de transferir sua enorme popularidade para o candidato que estiver apoiando na eleição. De fato, todos os candidatos buscam colar seu nome ao ex-presidente, tornando essa questão, a principal matéria de estudo dos analistas sobre o processo eleitoral brasileiro. Os petistas acreditam piamente nessa capacidade e aponta a eleição de Dilma Rousself como exemplo principal, os oposicionistas e a velha mídia se agarram nas derrotas petistas para tentar desgastar o potencial eleitoral de Lula e do Partido dos Trabalhadores.

Cada eleição municipal é diferente da outra, não adianta imaginar que a simples presença de Lula possa alavancar o candidato, temos exemplos de onde o PT realizou um grande trabalho, vide São Paulo, Fortaleza, Salvador e Campinas, e cidades onde teve uma derrota, como Belo Horizonte, Porto Alegre e Recife, principalmente, além de cidades como Manaus, capital amazonense, onde a candidata do PC do B, a senadora Vanessa Grazziottin, recebe apoio de uma coligação imensa para derrotar o ex-senador tucano, Arthur Virgilio. Todas essas cidades citadas, o candidato petista usou fortemente a imagem de Lula e da presidente Dilma Rousself, chegando a ir na justiça para proibir outros partidos ou coligações, de usar a imagem da presidente.

Quais as diferenças e semelhanças entre esses candidatos? Em São Paulo ( Fernando Haddad), Fortaleza ( Elmano de Freitas), e Campinas ( Marcio Pochmann), os candidatos  eram quase desconhecidos  e cresceram até chegar ao segundo turno, com grande possibilidade de vitória. Já em Recife ou Belo Horizonte, além de enfrentar um candidato com um fortes padrinhos políticos (  Eduardo Campos e Aécio Neves), os candidatos petistas já eram nomes conhecidos do eleitorado local ( Patrus Ananias e Humberto Costa). Essa diferença pode ter sido crucial, parece que o chamado “efeito Lula” é mais eficiente com candidatos desconhecidos, Lula  funcionaria, então, como o apresentador desse candidato aos povos. Humberto Costa e Patrus Ananias já tinha toda uma folha corrida para mostrar a população, não eram, propriamente, uma novidade.

O eleitor não é bobo, Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve, mas a adesão não é automática, Lula usa seu prestigio para pedir votos, algo legitimo, mas o candidato deve se apresentar ao eleitor, com suas propostas, seus projetos, o “efeito Lula” seria um selo de qualidade, de que é daqueles que governa para o povo, ou seja, que tem a marca de identidade petista. Portanto, qua a direita, a mídia e a falsa esquerda tentem enganar o  povo, não é ,exatamente, uma novidade, estranho é eles lutaram para aumentar o tamanho da força eleitoral do ex-presidente, talvez, para deixar a impressão que o povo é ignorante, no fundo, o que os três grupos citados, pensam.

 




10 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por augusto josé sá campello, em 22/10/2012 às 14:28

Boa tarde. Agora é tarde. Ou melhor é hora de chorar pitangas. Umas poucas pessoas um tantinho mais informadas observaram a formação do "efeito Lula". Foram anos a poder de troca de anúncios de estatais por matérias elogiosas em mais de 130 jornais (papel) e muitas mais rádios (que o povão anida ouve) e emissoras de TV nanicas. Propaganda. Este "efeito" não se apaga de uma hora para a outra. Mormente com uma "oposição" envergonhada. O "efeito" Getúlio Vargas, durou décadas. Ajscampello

Por Antonio Durão, em 22/10/2012 às 01:30

VAI ATÉ A PRISÃO DE QUEM O OBEDECIA...

Por regina oliveira, em 21/10/2012 às 22:42

Efeito Lula ou Estufa?Bem dá na mesma- influências negativas

Por pig = partido da imprensa governista, em 21/10/2012 às 21:15

O efeito Lula vai até o presidio, onde terá que levar marmitas pra cumpanherada mensaleira.

Por Neres José de Resende, em 21/10/2012 às 20:05

O efeito só Lula funciona quando a oposição é ineficiente. Vejam o exemplo de BH onde o Patrús Ananias já foi prefeito, e foi até considerado bom na época. Teve apoio de Lula, Dilma,Temer, mas eles se defrontaram com uma "montanha" chamada "Aécio".Resultado :perderam feio. No caso do Recife ocorreu o mesmo. O Senador Humberto Costa com ampla folha corrida capitaneado pelo Lula econtrou outra "montanha" "O governador Eduardo Campos"Nova derroga fragorosa. Mas, então o Serra não é "montanha"?.Claro que não!Ao invés de apresentar um projeto voltado para a cidade e dizer que pretenderia fazer uma administração melhor do que a de Kassab, até mesmo porque é muito mais experiente do que este e que; assim poderia melhorar em muito a vida do ciddão paulistano, etc... . É isto que o povo que ouvir; quer saber como ele será beneficiado no caso de uma eventual vitória de Serra. Preferiu nacionalisar o debate, com a questão do Kit Gay,Enen, mensalão etc... . O povão pouco entende sobre isso e muito menos está preocupado com estas questões. Neste caso até um poste pode ser eleito sob a égide do Lula.No caso de 2010, ocorreu o mesmo:Serra poderia ter sido eleito caso adotasse a estragia sugerida por Aécio que consistia lançar logo sua candidatura e formar uma ampla base de apoio.Mas, muito turrão, só se lançou tardiamente quando Lula já havia atraido para sua base de apoio quase 30 partidos.

Por mario jota, em 21/10/2012 às 19:36

Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve...........é ou foi?? Uma imbecilidade dessas só pode ter saído de um petralha.

Por erikssom patos, em 21/10/2012 às 18:29

milton valdameri disse uma coisa importante ai abaixo, que os candidatos que assumem um postura firme de oposição conseguem superar a popularidade do Lula e o aparelhamento do PT juntos. Isso ajuda a mostrar porque certas fichas corridas da oposição perderam como diz o Rafael Braga.

Por Ricardo Froes, em 21/10/2012 às 18:15

"Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve"... às vezes eu acho que é preferível ser cego a ter que ler uma imbecilidade dessas, principalmente vinda de um sujeito semi- alfabetizado.

Por Papa Tango, em 21/10/2012 às 18:12

Sem dúvidas, Lula está renovando o quadro político nacional. O PSDB deveria aprender com Lula, pois só aparecem novas personalidades políticas quando algum cacique tucano deixa o posto vazio para seu vice tomar conta. Se Serra não tivesse saído da prefeitura, quem conheceria o Kassab? Se a fatalidade da morte de Covas não acontecesse exatamente em sua gestão, quem conheceria Alckmin?

Por milton valdameri, em 21/10/2012 às 18:06

O efeito Lula é uma mistificação, o que existe é o efeito omissão da oposição. Lula não venceu nenhuma eleição presidencial no primeiro turno e a Dilma também não se elegeu no primeiro turno, ficando devidamente demonstrado que a popularidade divulgada nao corresponde com a realidade, além de mostrar que a oposição deixou de consquistar votos justamente por que não soube se opor ao Lula. A eleição em São Paulo mostrou que nem mesmo a rejeição ao Serra fez o Haddad ter uma boa votação no primeiro turno. O PT levou verdadeiras "surras" em BH, Recife, Porto Alegre, em Manaus o empenho do Lula, da Dilma, do PT e do Governo Federal em derrotar o Arthur Virgílio, desafeto explícito do Lula, não deixa dúvidas de que os candidatos que assumem um postura firme de oposição conseguem superar a popularidade do Lula e o aparelhamento do PT juntos.