Opinião

Por , em 22/10/2012 às 18:07  

Imprensa brasileira quer transformar uma vítima em culpada de sua própria morte!

Tamanho da fonte: a-a+

Primeiro, vejam a notícia: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/10/ela-nao-quis-entregar-bolsa-diz-namorado-de-jovem-morta-em-sp.html

De repente, a morte de uma adolescente durante um latrocínio se transformou em uma discussão quase surreal se ela deveria ou não “dar a bolsa”, como se a recusa da mesma em entregar aos bandidos o fruto do seu trabalho, ou do trabalho de sua mãe viúva, justificasse a atitude dos bandidos de matá-la.

A adolescente Caroline Silva Lee, atleta de kung fu, de apenas 15 anos, não tentou usar sua técnica de luta sobre os assaltantes – o que seria plenamente legítimo, posto que partiu deles a agressão inicial, que foi ameaçar a ela e a seu namorado com armas de fogo, para que entregassem seus pertences.

Ela adotou uma atitude de desobediência pacífica, não ”reagiu” ao assalto, apenas se recusou a tornar-se parte proativa neste. Mas a imprensa e a sociedade brasileira tratam a questão não como uma covardia de criminosos contra uma menina, mas como uma “imprudência”, um “erro” da jovem, que teria causado a sua morte – e a coisa assume um tom tal, que o professor de kung fu da jovem tenta provar que ela não reagiu, argumentando que recusar-se a dar a bolsa não é reagir ao assalto.

Eu mesmo tomei um tiro em um assalto a ônibus na orla de Salvador, em 2006, no dia do jogo Brasil x Gana, e tive que ouvir do policial que eu não deveria ter reagido ao assalto. Quem sabe eu não tivesse reagido se ele ou outro policial estivessem ali para impedir a ação dos criminosos, não é?

Agora invertem a lógica, e obrigam nós, cidadãos, a aceitarmos passivamente nosso ”destino” de assaltados. Nos desarmam, sucateiam nossa polícia, tratam o crime como ”problema social”, e não nos dão nem sequer o direito HUMANO de reagir?

Essa imprensa de playground que é a Rede Globo, a mesma que fez campanha descarada pelo Estatuto do Desarmamento, agora quer nos vender a ideia que essa menina seria culpada pela própria morte. Isto é imoral! É tão ou mais covarde quanto os assassinos da jovem, porque tentam legitimar e justificar o seu assassinato.

Até quando o Brasil vai ter essa mentalidade tão deturpada do que é certo e do que é errado? Será que é preciso mesmo relativizar ou banalizar a morte de uma menina, para se tentar subliminarmente aconselhar as pessoas a não reagirem a um assalto? Se eu fosse o editor, esse jornalista estaria demitido HOJE, e haveria um pedido de desculpas formal à família da jovem pelo tom infeliz da reportagem.

O Brasil é mesmo um PAÍS DE COVARDES!




7 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por erikssom patos, em 23/10/2012 às 12:18

A maior covardia começa pelo parlamento que não implanta um código penal que realmente combate os crimes, e pelos governos (executivos federal e estaduais) que não movem uma palha para debelar a violência e combaterem os crimes contra a vida e o patrimônio. O Brasil é um país de impunidade, por isso pena de morte e perpetua (de preferencia na forca) para bandidos do colarinho branco, narco traficantes, pedófilos, estupradores, latrocidas, etc...

Por Victor Castro, em 23/10/2012 às 12:55

@patos Vou um pouco mais além no seu raciocínio, Erikssom. Um sistema penal que quer punir tudo e controlar tudo ao mesmo tempo, não pune nada, não previne nada. Precisamos reduzir os mais de 200 tipos penais existentes atualmente para um núcleo de 20 ou 30 fundamentais, que protejam a VIDA E A DIGNIDADE HUMANAS. Criminalizar gato de luz, xérox de obra literária, choppinho no happy hour, nudismo, prostituição, jogo do bicho, e outras condutas cuja reprovação moral varia de pessoa pra pessoa (não são unânimes na sociedade), é sinônimo de pulverizar a demanda policial, obrigando o deslocamento de agentes de polícia para combater condutas menos lesivas, enquanto deixamos os assassinos, ladrões e estupradores soltos. As demais condutas socialmente danosas podem ser combatidas com medidas administrativas, como multas e serviços sociais. Não precisamos criminalizar tudo, colocar toda a população atrás das grades. Somente animais como esses covardes que mataram a adolescente Caroline Lee.

Por erikssom patos, em 23/10/2012 às 11:47

São tantas as coisas a serem ditas sobre estes fatos tão tristes e que já passaram a fazer parte da rotina do brasileiro, que nem sabemos por onde começar. Particularmente eu me coloco no lugar da família da vitima, e é como se fosse uma filha da gente, o coração fica partido ver uma pessoa tão jovem partir assim de uma forma tão estupida e devido a covardia de três marginais. A causa disso tudo não são causas sociais (dentro da própria sociedade), mas sim de uma lei penal que não pune rigorosamente os crimes contra a vida e contra o patrimônio. Por isso esses jovens são tão cínicos e covardes, porque se soubessem que ao cometerem um crime desse não sairiam da cadeia antes de uns 50 anos de cumprimento integralmente. A lei brasileira diz claramente para os bandidos que compensa eles cometerem qualquer tipo de ilícito porque a pena será branda, como são novos eles agem irresponsavelmente.

Por roberto argento filho argento, em 22/10/2012 às 21:17

"O Brasil é mesmo um PAÍS DE COVARDES!" - O BraZil é, sim, o país Dos Covardes.

Por roberto argento filho argento, em 23/10/2012 às 12:19

@argento: ... a diferença é Sutil, mas faz parte da (des)informação ... "Informação Seletiva"(subliminar)

Por roberto argento filho argento, em 22/10/2012 às 19:39

Por Victor Castro, em 22/10/2012 às 18:07 / opine. Imprensa brasileira quer transformar uma vítima em culpada de sua própria morte! TAMANHO DA FONTE: A-A+ Primeiro, vejam a notícia: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/10/ela-nao-quis-entregar-bolsa-diz-namorado-de-jovem-morta-em-sp.html De repente, a morte de uma adolescente durante um latrocínio se transformou em uma discussão quase surreal se ela deveria ou não “dar a bolsa”, como se a recusa da mesma em entregar aos bandidos o fruto do seu trabalho, ou do trabalho de sua mãe viúva, justificasse a atitude dos bandidos de matá-la. A adolescente Caroline Silva Lee, atleta de kung fu, de apenas 15 anos, não tentou usar sua técnica de luta sobre os assaltantes – o que seria plenamente legítimo, posto que partiu deles a agressão inicial, que foi ameaçar a ela e a seu namorado com armas de fogo, para que entregassem seus pertences. Ela adotou uma atitude de desobediência pacífica, não ”reagiu” ao assalto, apenas se recusou a tornar-se parte proativa neste. Mas a imprensa e a sociedade brasileira tratam a questão não como uma covardia de criminosos contra uma menina, mas como uma “imprudência”, um “erro” da jovem, que teria causado a sua morte – e a coisa assume um tom tal, que o professor de kung fu da jovem tenta provar que ela não reagiu, argumentando que recusar-se a dar a bolsa não é reagir ao assalto. Eu mesmo tomei um tiro em um assalto a ônibus na orla de Salvador, em 2006, no dia do jogo Brasil x Gana, e tive que ouvir do policial que eu não deveria ter reagido ao assalto. Quem sabe eu não tivesse reagido se ele ou outro policial estivessem ali para impedir a ação dos criminosos, não é? Agora invertem a lógica, e obrigam nós, cidadãos, a aceitarmos passivamente nosso ”destino” de assaltados. Nos desarmam, sucateiam nossa polícia, tratam o crime como ”problema social”, e não nos dão nem sequer o direito HUMANO de reagir? Essa imprensa de playground que é a Rede Globo, a mesma que fez campanha descarada pelo Estatuto do Desarmamento, agora quer nos vender a ideia que essa menina seria culpada pela própria morte. Isto é imoral! É tão ou mais covarde quanto os assassinos da jovem, porque tentam legitimar e justificar o seu assassinato. Até quando o Brasil vai ter essa mentalidade tão deturpada do que é certo e do que é errado? Será que é preciso mesmo relativizar ou banalizar a morte de uma menina, para se tentar subliminarmente aconselhar as pessoas a não reagirem a um assalto? Se eu fosse o editor, esse jornalista estaria demitido HOJE, e haveria um pedido de desculpas formal à família da jovem pelo tom infeliz da reportagem. O Brasil é mesmo um PAÍS DE COVARDES!

Por roberto argento filho argento, em 22/10/2012 às 19:42

@argento: http://www.observadorpolitico.org.br/grupos/tecnologia/forum/topic/codigo%E2%80%A6