Brasil

Por Observador Diário, em 30/11/2012 às 12:16  

De FHC para Lula: Uma coisa é o governo, outra coisa é a família

Tamanho da fonte: a-a+

Fernando Henrique Cardoso falou sobre gestão pública e democracia aos prefeitos eleitos pelo PSDB no Estado de São Paulo. em sua palestra, fez uma série de críticas às gestões do PT e, segundo a Folha de S.Paulo, citou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se esquiva em dar explicações sobre ”as relações confusas que foram estabelecidas em seu governo” e criticou “a confusão entre o público e o privado” na governo do petista. ”Uma coisa é o governo, a coisa pública, outra coisa é a família. A confusão entre seu interesse de família ou seu interesse pessoal com o interesse público leva à corrupção e é o cupim da democracia.”

Saiba mais em http://www1.folha.uol.com.br/poder/1193558-fhc-acusa-lula-de-confundir-interesses-publicos-e-privados.shtml




5 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por roberto argento filho argento, em 02/12/2012 às 13:11

Há outro "recado" implicito: Família não é, necessariamente, Democrácia

Por roberto argento filho argento, em 01/12/2012 às 12:41

"Amante de Lula mandava e desmandava no governo!!!" http://www.observadorpolitico.org.br/grupos/corrupcao/forum/topic/amante-de-lula-mandava-e-desmandava-no-governo

Por Capitão Caverna, em 01/12/2012 às 10:03

FHC defendeu várias vezes publicamente o Governo de "esquerda" do PT e tentou várias aproximações com o Governo Dilma. Assim como fez com Collor no passado, não há limites para sua desfaçatez, sempre bem dissimulada com um discurso moderno e conciliatório. Afinal, como ele mesmo disse, o PSDB não tem as "mesmas facilidades" de obter financiamento para campanhas, pois não está no Governo, sendo assim, a aproximação política é natural, sem "FLA x FLU", e sempre para o bem do país... Escândalos após escândalos se sucedem e a afirmação de FHC não deixa dúvidas, as críticas são para os excessos, o exagero no roubo usado para interesses pessoais. Provavelmente, se Lula e o PT desviassem apenas para campanhas seria "parte do jogo"... Assim como fez Eduardo Azeredo, um "crime menor", na visão da elite política acostumada a usar o público não como privado, coo afirma FHC sobre Lula, mas confundir interesses partidários com os interesses públicos! Nesse quisito, todos se igualam. A crítica de FHC e do próprio PSDB é imoral, patética, e desproporcional. Logo após o julgamento do Mensalão e com a população clamando por reformas que protejam "O REGIME DEMOCRÁTICO" dos assaltantes do erário público, FHC faz uma crítica pessoal, como se o problema fosse uma atitude individual de Lula. Não é! São práticas sistemáticas, favorecimentos ilícitos, falta de transparência, licitações dirigidas, indicações de cargos por critérios polítcos e barganhas financeiras, venda de favores... isso não é confusão do público com o privado, é a prática política explícita, posta a mostra, como um filme pornográfico em que vemos todos os detalhes, hoje vemos todos os detalhes da prática desses senhores... FHC é o símbolo da política velha, assim como Lula. O símbolo de uma dicotomia inexistente entre os partidos aliados PSDB x PT, o símbolo do fisiologismo e da corrupção... Se quer demonstrar que é diferente, porque não expulsaram Eduardo Azeredo de seus quadros? Porque não expulsaram Marconi Perillo? FHC - aposente-se, seu discurso é imoral, e enoja quem espera uma atitude democrática e verdadeiramente oposicionista! Vá colocar seu pijama e contente-se com o papel medíocre que a história vai lhe reservar no futurao... "Bom presidente", "fez o possível dentro de um Estado corrupto"... em resumo NÃO FOI O ESTADISTA QUE ESPERÁVAMOS...

Por roberto argento filho argento, em 01/12/2012 às 13:14

@antoniorodrigues: Sócios - pouca diferença de preços.

Por erikssom patos, em 30/11/2012 às 12:45

Muito bem senhor Henrique Cardoso, parabéns. Que os filiados do partido faça e pense o mesmo, inclusive o senador Aécio Neves.