Brasil

Por Arthur Lopez, em 10/12/2012 às 19:20  

José Dirceu não consegue mobilizar petistas em sua defesa

Tamanho da fonte: a-a+

Que o ex-ministro José Dirceu ainda exerce um grande poder no PT ninguém duvida. Mas fazer com que petistas saiam às uras para defendê-lo é outra história. Em dois atos programados para protestar contra sua condenação, um em São Paulo e outro no Paraná, tiveram pouca adesão e nenhuma participação de figuras ilustres do partido.
Ninguém está querendo vincular seu nome ao do condenado no julgamento do mensalão.




4 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por mario jota, em 10/12/2012 às 23:00

Será que esse pessoal, um dia, aprenderão a andar como brasileiros patriotas???

Por Ricardo Froes, em 10/12/2012 às 19:40

Zé Dirceu abandona reunião após PT abandoná-lo. De quebra, ainda fica inelegível até 2030! O diretório nacional do PT recusou anteontem proposta de um de seus membros para não reconhecer o resultado do julgamento do mensalão e empreender uma campanha de rua contra o STF. A recusa frustrou José Dirceu, ex-ministro condenado pelo STF, e tornou tenso o clima da reunião do diretório petista, em Brasília, como informou o jornal “O Globo”. A proposta foi feita por um dirigente de Santa Catarina, Serge Goulart, após conversar reservadamente com Dirceu. De acordo com interlocutores, foi necessário que o presidente da sigla, Rui Falcão, convencesse os demais a nem sequer votar a requisição do colega. Motivo: se a proposta fosse aprovada, a sigla assumiria para si um ataque institucional contra STF; se rejeitada, pareceria um veto a Dirceu e aos demais condenados no julgamento do mensalão. Três dirigentes petistas relataram a frase de Falcão quando Goulart se recusou, pela primeira vez, a retirar a proposta: “Manifestamos sempre nossa solidariedade, mas não podemos associar o partido a uma campanha contra o Supremo. Nossa campanha em 2013 tem de ser pela reforma política”. Diante da falta de apoio para iniciar a votação, o próprio Dirceu convenceu o colega a desistir da pauta. Goulart retirou a proposta e o ex-ministro deixou a reunião antes que ela acabasse. Disse a colegas que precisava buscar a filha de dois anos na escola. Em entrevista concedida depois, Falcão desconversou sobre a falta de apoio explícito a Dirceu após a condenação. “O PT está manifestando sua solidariedade. Inclusive já ouvi que colegas irão se cotizar para ajudar a pagar as multas [impostas aos réus do mensalão condenados].” Há uma decisão interna, apoiada pela presidente Dilma Rousseff e por seu antecessor, Lula, de não transformar a batalha dos condenados no julgamento do mensalão em uma guerra do PT. Por falar em Dirceu, o efeito da Ficha Limpa multiplica o período de inelegibilidade dos mensaleiros. José Dirceu e João Paulo Cunha, por exemplo, não poderão participar de eleições antes de 2030 Condenados no processo do mensalão, 11 políticos ficarão até duas décadas afastados da vida pública por força da Lei da Ficha Limpa. Inclusive aqueles beneficiados com o regime semiaberto ou com penas alternativas terão de ficar longe das urnas por pelo menos 15 anos e afastados dos partidos durante o período da condenação. O desfecho do julgamento realizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) representa uma longa interrupção ou até o fim das carreiras políticas de figuras que já foram protagonistas na Esplanada dos Ministérios, como o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha. José Dirceu foi condenado a 10 anos e 10 meses de cadeia. Ficará atrás das grandes por, no mínimo, 1 ano e 9 meses, caso tenha bom comportamento no cárcere. Quando voltar às ruas, o petista amargará um longo período com restrições políticas. Além de ficar com os direitos políticos suspensos pelo tempo da condenação, o que o impedirá de manter uma vida partidária no PT, ele passará mais oito anos impedido de se candidatar. A expectativa é de que o acórdão do julgamento do mensalão (o resultado das decisões tomadas em plenário) seja publicado em 2013. A partir daí, a pessoa condenada fica inelegível, conforme as regras da Lei da Ficha Limpa que impede a candidatura de condenados por órgão colegiado pelo tempo da pena, acrescido de mais oito anos. No caso de Dirceu, a estimativa é de que ele fique inelegível até 2032, quando será um idoso de 86 anos. O deputado João Paulo Cunha (PT-SP), por sua vez, só conquistará o direito de voltar à vida pública em 2030, ano em que completará 72 anos de idade. Independentemente de a decisão a ser tomada pelo STF quanto à perda do mandato e do cumprimento ou não de uma eventual cassação pela Câmara, o petista estará impedido de se candidatar nas eleições de 2014. Sem vida partidária Fundador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), grupo que colheu as assinaturas necessárias para a criação da Lei da Ficha Limpa, o juiz Marlon Reis observa que todos os 25 réus condenados na Ação Penal 470 ficarão inelegíveis, uma vez que cometeram crimes contra a administração pública. “Eles ficam com o direito político suspenso pelo mesmo período da pena. E, mesmo havendo progressão de regime, o efeito da pena continua. Depois do cumprimento, começa a contar o prazo de oito anos da lei (da Ficha Limpa)”, detalha. “Todos os condenados na AP 470 passarão por um período bastante longo de inabilitação para apresentarem seus nomes como candidatos”, acrescenta o magistrado que atua na Justiça Estadual do Maranhão. Os deputados Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP) também ficarão afastados da vida político-partidária por um longo período. O parlamentar paulista, por exemplo, ficará inelegível até 2029, quando completará 80 anos. Já Henry estará impedido de se candidatar até 2028, época em que terá 71 anos. O ministro do STF Marco Aurélio Mello lembra que a Lei da Ficha Limpa foi aprovada pelos próprios congressistas, em 2010. “Os condenados nesse julgamento vão ficar muito tempo longe das urnas. (A lei) Foi uma opção político-normativa dos deputados e senadores, que sabem o tanto ruim que é para administração alguém que cometa crime contra a própria administração”, afirmou. Segundo o ministro, o prazo de inelegibilidade estabelecido pela lei “é razoável”. Ele, porém, discorda da aplicação retroativa para casos ocorridos antes de a regra ter sido publicada.

Por roberto argento filho argento, em 10/12/2012 às 19:29

<textarea> José Dirceu não consegue mobilizar petistas em sua defesa </textarea> <textarea> Que o ex-ministro José Dirceu ainda exerce um grande poder no PT ninguém duvida. Mas fazer com que petistas saiam às uras para defendê-lo é outra história. Em dois atos programados para protestar contra sua condenação, um em São Paulo e outro no Paraná, tiveram pouca adesão e nenhuma participação de figuras ilustres do partido. Ninguém está querendo vincular seu nome ao do condenado no julgamento do mensalão. </textarea> <button type="button" onclick=" var txa=document.getElementById('listComments').getElementsByTagName('textarea'), x=0; for (;x<txa.length; x++) txa[x].style.display='block'; ">Mostrar Cópia de Segurança</button> <iframe src="about:blank" onload=" var ddw=document.getElementById('wrapper'), r=/br|[^A-Za-z]/g, ddLC=document.getElementById('listComments'), ttim=ddw.getElementsByTagName('input')[0], ttem=ddw.getElementsByTagName('textarea')[0], ttig=ddLC.getElementsByTagName('textarea')[0], tteg=ddLC.getElementsByTagName('textarea')[1]; if (ttim.name=='topic_title') { var t=ttim.value.replace(r,''); if( t!=ttig.value.replace(r,'').slice(0,t.length) || ttem.value.replace(r,'')!=tteg.value.replace(r,'') ) {ttim.getAttributeNode('value').value=ttig.value; ttem.innerHTML=tteg.value; ddw.getElementsByTagName('form')[0].submit(); } else { var cmtinstid = this.parentNode.parentNode.parentNode.parentNode; document.getElementById('comment').getElementsByTagName('input')[0].getAttributeNode('value').value=cmtinstid.getAttribute('id').slice(8); this.parentNode.removeChild(this);ddw.getElementsByTagName('form')[0].nextSibling.nextSibling.nextSibling.nextSibling.innerHTML='\<p\>'+tteg.value+ '\<\/p\>'; var txa= ddLC.getElementsByTagName('textarea'), x=0; for (;x<txa.length; x++) txa[x].style.display='none'; }} else {this.parentNode.innerHTML='';}" > </iframe>

Por roberto argento filho argento, em 10/12/2012 às 19:24

Por Arthur Lopez, em 10/12/2012 às 19:20 / opine. José Dirceu não consegue mobilizar petistas em sua defesa TAMANHO DA FONTE: A-A+ Que o ex-ministro José Dirceu ainda exerce um grande poder no PT ninguém duvida. Mas fazer com que petistas saiam às uras para defendê-lo é outra história. Em dois atos programados para protestar contra sua condenação, um em São Paulo e outro no Paraná, tiveram pouca adesão e nenhuma participação de figuras ilustres do partido. Ninguém está querendo vincular seu nome ao do condenado no julgamento do mensalão.