Opinião

Por Elza A. Cardoso, em 17/12/2012 às 21:28  

Re-Publicando,por oportuno:LEVIATÃ,O ELEFANTE E A BOLHA ASSASSINA

Tamanho da fonte: a-a+

Publicado em 11.03.2012 – (Vejam que “Nada mudou”, aliás piorou…)
“Olhando a situação pífia do Brasil, neste atual governo, com o crescimento ridículo da nossa “economia”, a falta de apoio à produção (juros, impostos mais altos do mundo), qualquer leigo inocente percebe que toda a vez que a “festa vai começar”, o governo toma “medidas” para sacrificar o povo, para aumentar sua estrutura de governo,criando + cargos. Vê-se, então, o Leviatã (estado gigantesco), o Elefante (lerdo e pesado), a “Bolha Assassina” governo que suga a energia e o dinheiro do povo,sendo sustentados pela massa escravizada e míope, que é o povo brasileiro.
Um Estado que possui os Juros mais altos do mundo (sem que seus bancos oficiais diminuam os juros de agiotagem para equilibrar o mercado)abusando do contribuinte, um país que COBRA OS IMPOSTOS MAIS CAROS DO PLANETA SOBRE O TRABALHO E A PRODUÇÃO, sem que seja devolvido em benefícios ao povo, um governo que AUMENTA CADA VEZ MAIS O PESO DO ESTADO, sobre os ombros das “formiguinhas hipnotizadas” que seguem pagando 1 Bilhão e 600 Milhões só em passagens PRA POLÍTICOS, só pode estar DEBOCHANDO, mantendo o povo HIPNOTIZADO E SEM INFORMAÇÃO, pois se o povo acorda, pode reagir, mesmo desarmado, contra os abusos a que é submetido desde o tempo do Império.
A indústria de transformação não decola num país que onera o trabalho e a produção, com juros sobre o dinheiro do capital de giro, e com impostos absurdos sobre a mão de obra, subindo os preços DE TUDO POR AQUI.

Ô,Ministro da Mantega, PresidentA Dilma, como “enfrentar”crise Internacional, SE VOCÊS -INCOMPETENTES- OU COM MÁ FÉ, “COBRAM” um “Tsunami”,uma “Guerra Cambial”do qual vocês são os maiores agentes agravadores, NUM PAÍS INSUSTENTÁVEL! Agora, “coroem” tudo isso,PAGANDO COM NOSSO DINHEIRO “OBRAS” DE USINAS NUCLEARES! POR CAUSA DE GENTE ASSIM, O BRASIL SERÁ, ‘PARA SEMPRE, O PAÍS DO FUTURO




Nenhuma opinião publicada

O que você tem a dizer?