Opinião

Por José Antônio da Conceição, em 12/02/2013 às 02:09  

Carnaval – Episódio V – Terça (fim)

Tamanho da fonte: a-a+




6 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por erikssom patos, em 12/02/2013 às 15:51

Na minha cidade não há festa de carnaval, e pode acreditar, quem quiser fugir desta festa carnavalesca venha para a capital goiana passar uns dias tranquilo. ] As festas de carnaval com ambiente familiar pode ir para a cidade de Pirenópolis de Goias, é também muito tranquilo, só família.

Por José Antônio da Conceição, em 12/02/2013 às 16:53

@patos Estive aí, por um fim de semana apenas (era carnaval). Foi quando passei uns meses em Brasília, trabalhando no projeto do prédio do Banco Central. (faz tempo). Existe uma lei no plano piloto, que nenhum prédio lá pode ser mais alto que o prédio do Banco do Brasil! Pois é, por alguns metros apenas o prédio do BCB é mais alto! Lembro a frase dita pelo arquiteto enquanto as cotas do pé direito dos prejetos eram "maquiadas" para ficar em conformidade com a Lei: "Ninguém irá subir lá com trena e medir, mas se o fizerem, o prédio já estará pronto".

Por Papa Tango, em 12/02/2013 às 02:31

Não, na minha cidade os bailes de carnaval promovem o nascimento de várias crianças. Os de funk também! Dalí surgem os futuros inquilinos do condominio fechado do governador. Mas é assim que a coisa funciona. Se todo mundo fizesse planejamento familiar e dessem educação de qualidade para seus filhos, quem iria recolher o lixo das ruas? Alguem tem que se dar mal para que outros se dêem bem. O sistema é perfeito: se você se der bem hoje, amanhã você se fode; se você se foder hoje, amanhã (talvez) se de bem.

Por José Antônio da Conceição, em 12/02/2013 às 02:38

@papatango Então, na sua opinião, os garis e outras profissões subalternas são necessárias e, para que não desapareçam da face da terra devemos incentivar sempre a desigualdade e promover a inferioridade de grande parte da humanidade. Para fazermos isso, basta nada fazermos não é mesmo?

Por Papa Tango, em 12/02/2013 às 03:18

@joseantonio400 Peraí, promover não! Deixar acontecer! A sub-cultura é necessária para que os desafortunados se conformem com sua situação. Caso contrário, haveria um constante conflito entre pessoas de classes sociais diferentes. Não estou falando do genérico conflito entre ricos e pobres (ou luta de classes) mas sim de disturbios constantes onde até aqueles que nem ricos são seriam alvejados pelos mais pobres, mesmo que nem tão pobres fossem. Uma boa maneira de promover a sub-cultura é colocarmos o alcoolismo como hábito social. Deixem as pessoas beberem para que esqueçam de tudo, para que não se revoltem.

Por Papa Tango, em 12/02/2013 às 02:56

@joseantonio400 Exatamente! Deixe fazer, deixe passar.