Opinião

Por José Antônio da Conceição, em 26/02/2013 às 15:46  

Quando (apenas quando, somente quando)

Tamanho da fonte: a-a+

 

Quando maioria das mentes
Optaram por ser reticentes…

Quando tudo que é cruel e exagerado
Parece não querer ser enxergado…

O caminho é este mesmo
Deixar o rio correr a esmo…

Destes, quem quiser ver ou ouvir
Enxergue ou ouça a tempestade do porvir…

Se puderem, se lhes restar alguma sorte (e mente)…
Que fujam sozinhos da enchente…

Que levem alguma semente!

E… parem de mentir diariamente!

 

Quando se iniciou o debate

Falando de política, num bate-rebate

Era maravilhoso, verdadeiro prazer,

Discutir, debater e aprender…

 

Quando findou o debate

O tom professoral assumiu

Bate-rebate virou bate-bate

Pela cordialidade ninguém arguiu.

 

Aluno resistente… palmatória!

Por que professor?

Que erro deverei eu, contar ao confessor?

Prejudicaste a oratória!

 

Mas a oratória é vazia…

Doutrinante e perversa!

Tenta convencer a todos

E levá-los junto, na conversa!

 

Se não sabes, deves aprender…

Quem está por cima, fala

Apresenta como fazer,

Quem está por baixo, cala.

 

E aquilo que sei, que faço com tudo?

Guarda para ti e fiques calado

Faça como se tu fosses mudo

Senão te corto o rebolado.

 

E a Globalização meu mestre?

Como combinado…

Será assunto da última oratória…

Ainda neste semestre?

Não, quando tudo dominado…

Sem nenhuma escapatória!




17 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por José Antônio da Conceição, em 27/02/2013 às 10:45

Papa Tango: "A cabeça de uma pessoa faz dela um Rei" (Pensamento Yorubá) Destrinche-o, destripa-o, estripa-o, destrua-o ou então acalente-o e aprenda...

Por José Antônio da Conceição, em 27/02/2013 às 10:55

@papatango Delta*India*Fox*India*Charly*India*Lima ?

Por Papa Tango, em 27/02/2013 às 02:13

José Antônio O cara do control C Não sabe o que diz Mas gosta de aparecer José Antônio Inteligência acima da média Para não ter que ler os grandes filósofos Se vira com a Wikipédia José Antônio Que se acha sabichão Acredita nas loucuras De um cara que se chama Leão José Antônio Sempre mantém a compostura Quando é contrariado Oferece uma recomendação de leitura José Antônio Acha que o mundo não deveria ser assim Mas defende o impossível Do alto da sua Torre de Marfim José Antônio É contra a mão invisível do mercado Mas na hora de comprar um produto Procura sempre pelo bom e mais barato José Antônio O grande amante da Filosofia Tem a mente aberta E a cabeça vazia.

Por José Antônio da Conceição, em 27/02/2013 às 08:05

@papatango Desculpe Papa Tango... Respondi antes de ler as outras discussões! O NOME correto disso aí em cima não é poesia... é p-o-e-s-o-f-i-a! Termo que estamos anexando ao léxico, a partir de hoje! Cê sabe né... a língua é algo vivo e dinâmico, que sofre transformações constantemente! Palavras nascem e palavras morrem por desuso! Viva a língua (Português bem BRASILEIRO-GUARANI-TUPINIQUIM-AFRODESCENDENTE)

Por José Antônio da Conceição, em 27/02/2013 às 07:50

@papatango Li e reli, Papa Tango. Sendo você um dos "mestres" a que a poesia se refere, esperava que se defendesse! Porém, existe uma máxima (que não foi dita por nenhum dos folósofos que vale a pena ler): "A melhor defesa é o ataque". Qual será minha puniçaõ? Advertência? Estou suspenso das aulas? Jubilamento? Nota zero por indisciplina? ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Vocês (doutrinadores) já estão quase lá! A sociedade já emite sinais da impossibilidade de recuperação dos valores que a doutrinação afirmou serem "coisas velhas" portanto, a substituição (inversão dos valores dignos) já aconteceu praticamente na sociedade inteira! Nós, os resilientes, estamos dispostos a alargar as trincheiras e, dificultar ao máximo o témino da obra de vocês!

Por José Antônio da Conceição, em 26/02/2013 às 19:45

E O ASSUNTO DO POST? Alguém vai comentar?

Por regina helene de oliveira, em 26/02/2013 às 20:21

@joseantonio400 não não vou comentar,falo o que quero com objetivo maior ao post ,ou não posso expressar o que quero?Vai censurar ?Incoerente que defende a liberdade de expressão e impõe a censura.

Por José Antônio da Conceição, em 26/02/2013 às 21:35

@reco Questão de interpretação! Eu, apenas perguntei se o Ricardo Froes conseguirá COMANDAR a todos os Observadores (inclusive você), desviando completamente o mote do Post e chamando a atenção para si mesmo! Pelo visto, até o presente momento ele conseguiu!

Por regina helene de oliveira, em 26/02/2013 às 18:54

Amor e ódio tem a mesma fonte.JAC e Ricardo se amam .Não conseguem viver sem disfarçar ,o amor que sentem um pelo outro, através da máscara de oponentes.Façam poesia juntos quem sabe a inspiração bate forte.

Por augusto josé sá campello, em 26/02/2013 às 17:08

Pois é. Debate ou debacle? Vamos perguntar aos pré candidatos o que eles pensam sobre o nosso sistema financeiro? Ou sobre a inflação acumulada nos últimos doze anos? Ajscampello

Por José Antônio da Conceição, em 26/02/2013 às 17:42

@ajcampello Não debate, não debacle amigo Campelo! O Opilador Político virou ágora de praticar sátiras! Esperemos venham que dias melhores afinal, os editores do OP são os próprios Observadores! Ajuda aí, torcendo para que todos eles se manifestem sobre política, lembrando-se que existe política fora das fronteiras Partidárias! Poderiam também deixar as bravatas, as falácias e a doutrinação para aqueles políticos que ganham excelentes remunerações para nos brindar com xaropadas ideológicas!

Por José Antônio da Conceição, em 26/02/2013 às 17:05

Por José Antônio da Conceição, em 26/02/2013 às 14:48 @argento: acho que estão querendo nos colocar "Nosoros". Precisamos verificar a procedencia dos frasquinhos, do líquido dentro, das mangueirinhas e das agulhas! Hospitalizados, mas com a garantia de que sairemos de lá (vivos)!

Por José Antônio da Conceição, em 26/02/2013 às 16:50

Acorda amor Eu tive um pesadelo agora Sonhei que o Froes tava lá fora Batendo no portão, que aflição Era o Ricardo mesmo, numa muito escura viatura Minha nossa santa criatura Chame, chame, chame lá Chame, chame o ladrão, chame o ladrão Acorda amor Não é mais pesadelo nada Tem Froes já no vão de escada Fazendo confusão, que aflição São os homens maus E eu aqui parado de pijama Eu não gosto de passar vexame Chame, chame, chame Chame o ladrão, chame o ladrão Se eu demorar uns meses Convém, às vezes, você sofrer Mas depois de um ano eu não vindo Ponha a roupa de domingo E pode me esquecer Acorda amor Que o bicho é brabo e não sossega Se você corre o bicho pega Se fica não sei não Atenção Não demora Dia desses chega a sua hora Não discuta à toa não reclame Clame, chame lá, chame, chame Chame o ladrão, chame o ladrão, chame o ladrão (Não esqueça o epitáfio do túmulo: "Froes o terrível")

Por Ricardo Froes, em 26/02/2013 às 16:17

Batatinha quando nasce Se esparrama pelo chão O JAC fazendo verso Não deixa de ser bundão

Por Michael Santos, em 26/02/2013 às 17:08

@bobjaniak No alto daquela montanha, Passa boi, passa boiada. O Ricardo é um poeta, O JAC é um terror. Mas eu sei que, no fundo, Entre eles há amor.

Por José Antônio da Conceição, em 26/02/2013 às 16:40

@bobjaniak Phoda-se! Ou então aprenda: Batatinha quando nasce, Espalha a rama pelo chão... Mamãezinha quando dorme... põe a mão no coração! Isto é... exceto as desnaturadas, descoronariadas e desmioladas, que geneticamente transmitem...

Por Michael Santos, em 26/02/2013 às 17:09

@joseantonio400 JAC, foi piada ta? Num sou muito bom com rimas.