Brasil

Por Observador Diário, em 18/04/2013 às 09:09  

BC sobe juros para conter inflação e mal interpretar Dilma

Tamanho da fonte: a-a+

Há menos de um mês, a presidente Dilma Rousseff disse na África, diante dos Brics, que era contra medidas que combatam a inflação com prejuízo ao crescimento econômico (Folha, 27 de março), que no Brasil é um dos mais baixos nos últimos anos. A frase, segundo a presidente, foi mal interpretada pela imprensa. Hoje, a notícia é que o Banco Central subiu a taxa Selic para 7,5%, depois de dois anos de baixas. Quem estaria mal interpretando a presidente agora?




13 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por Victor Castro, em 21/04/2013 às 16:25

Não vai adiantar nada: http://www.observadorpolitico.org.br/2013/04/o-ciclo-virtuoso-da-economia/

Por mario jota, em 19/04/2013 às 22:39

A presidente Dilma tem de demitir todos figurões do Banco Central, afinal de contas estão indo contra a vontade dela.

Por roberto argento filho argento, em 19/04/2013 às 18:58

É cíclico, aproxima-se a "(re)eleição", muda o foco, a prudência vai pro saco; mas uma coisa nunca muda, sempre é a Crasse Mérdia a que paga o boquete, digo, o banquete.

Por augusto josé sá campello, em 18/04/2013 às 18:56

Boa noite. São Tombini foi chamado a fazer o que D Dilma e Seu Mantega deixaram para ele fazer. Ele não é político, não vai disputar ou auxiliar alguém nas eleições. Tombini e seus colegas de diretoria subiram a taxa básica de juros da economia. Tentativa de apagar o bafo do dragão. Espero que funcione. Caso contrário, quem vai pagar é a sociedade. Toda. Inclusive quem usa sandália de dedo por falta de opção. Os bancos, banqueiros e outras instituições do sistema financeiro estão é de cabelo em pé. É um custo enorme amigos. Horas e horas de processamento de dados para refazer todos os produtos financeiros, recalcular tudo e jogar fora todo o trabalho que as mexidas anteriores provocaram. Este tipo de "custo Brasil", pouca gente percebe. Mas vai pagá-lo lá na frente. Ajscampello

Por erikssom patos, em 19/04/2013 às 10:58

@ajcampello, Tombini e o BC perderam a autonomia, e agora está sendo subordinado para fazer algo que ele deveria ter autonomia para fazer ou não sem a manhinha e o tio dar ordens. O problema é que esse pessoal acha que um BC é uma maquina das mil e uma maravilhas e estabeleceram ali a casa da mamãe joana. Os bancos privados (leia banqueiros) não embarcaram na ordem dada pelo andar de cima, de baixar os juros e conceder empréstimos a rodo para estimular o crescimento, os caras ficaram com um pé atras. Apenas os bancos oficiais seguiram as ordens. O M2 está em queda e o M1 subindo, isso de uma certa forma ajudou a conter um pouco mais a inflação, que poderia estar bem pior. O brasileiro gosthia de pedir mais governo, sempre diz assim: o governo tem que fazer alguma coisa! Então tá, o governo esta fazendo alguma coisa, inflação!

Por Elton Luis Gouvêa, em 18/04/2013 às 17:27

Entre seguir as asneiras do Dona Dilma e as ordens dos banqueiros, o BC sempre vai optar pelo segundo.

Por Michael Santos, em 21/04/2013 às 21:14

@elton007 Ah ta. Foram os banqueiros que recomendaram as taxas da CAIXA pra patamares baixíssimos, fazendo uma concorrência quase irreal com os bancos privados? O BC tem muito juízo, né?

Por augusto josé sá campello, em 18/04/2013 às 13:55

Boa tarde. Vivemos tempos difíceis. Algumas coisas, fatos, me incomodam muito. Dizem que uma das características nefastas do capitalismo é que ele opera a destruição de capital. Mas, esquecem de juntar o restante da conceituação : trata-se de destruição criativa. O capitalismo moderno, contemporaneo, inova. Curiosamente o Estado, o nosso, por exemplo, destroi capital fixo - bem o caso da malha rodoferroviária, e não investe , ao contrário, dedica-se com afinco aos gastos correntes. Seria curioso se não fosse triste. No tocante à inflação e o que mandatários dizem, é bom lembrar que por vezes não deven dizer nada e mesmo dizerem platitudes pois o que está na frigideira não deve ser dito às claras porque é aí que a especulação come solta. Ajscampello

Por erikssom patos, em 19/04/2013 às 10:47

@ajcampello, mas o mais triste mesmo é querer jogar nas costas do capitalismo todo o dirigismo de estado. O capitalismo constrói e estado destrói, provocando as crises por meio das politicas de expansões monetárias. Toda expansão monetária provoca crise, se a expansão é lenta a crise pode demorar a surgir, mas se a expansão é rápida e grande, a crise não demora a surgir. O remédio aplica que tem sido sistematicamente mais estado e mais intervenção, a crise prolonga e vem mais tarde maior.

Por milton valdameri, em 18/04/2013 às 09:57

O problema maior para interpretar a presidente, sem bem ou mal, é que a própria presidente não sabe exatamente o que disse, nem o que pretendia dizer. No caso da inflação, não há uma relação entre a inflação e juros baixos, portanto o aumento dos juros não trarão nenhum benfício no controle da inflação, só causarão algum elfeito quando provocarem uma grave recessão, substituindo a inflação pela recessão. Quando a recessão se tornar o problema, vão provocar inflação para tentar controlar a recessão. Quero deixar claro que não estou fazendo uma previsão, estou apenas contando aquilo que aconteceu no passado, em vários países, inclusive o Brasil. Como a fórmula atual é igual à formula do passado, o resultado da equação é óbvio.

Por erikssom patos, em 19/04/2013 às 10:41

@miltonv, realmente o que tudo indica dentro de analises da conjuntura atual não há relação nenhuma como você disse. Mas só para lembrar antes que a gente esquece, as desculpas futuras a gente até pode prever: a culpa é do capitalismo e do livre mercado, o governo não tem com isso(!).

Por Jáder Ribeiro, em 18/04/2013 às 09:21

Não será suficiente. logo logo haverá outra reunião para aumentar mais. o PT adora facilidades e, ajudar a conter a inflação com uma reuniãozinha é uma tentação.

Por erikssom patos, em 19/04/2013 às 10:59

@jader, é só chamar a cumpanherada!