Direitos Humanos

Por José Antônio da Conceição, em 17/04/2013 às 13:17  

“O DIA QUE DUROU 21 ANOS”

Tamanho da fonte: a-a+

Filme documentário

O DIA QUE DUROU 21 ANOS

Sinopse e detalhes

Este documentário mostra a influência do governo dos Estados Unidos no Golpe de Estado no Brasil em 1964. A ação militar que deu início a ditadura contou com a ativa participação de agências como CIA e a própria Casa Branca. Com documentos secretos e gravações originais da época, o filme mostra como os presidentes John F. Kennedy e Lyndon Johnson se organizaram para tirar o presidente João Goulart do poder e apoiar o governo do marechal Humberto Castelo Branco.

FICHA TÉCNICA

Diretor: Camilo Tavares

Produção: Karla Ladeia

Roteiro: Camilo Tavares

Fotografia: Luiz Myiasaka, Cleumo Segond, Márcio Menezes, André Macedo

Trilha Sonora: Dino Vicenti

Duração: 77 min.

Ano: 2012

País: Brasil

Gênero: Documentário

Cor: Colorido

Distribuidora: Pequi Filmes

Estúdio: Pequi Filmes

Classificação: 14 anos

O cargo de presidente do Brasil é declarado vago pelo senador Auro Moura de Andrade. O presidente da Câmara, Ranieri Mazzilli, é empossado.

No dia 15 de abril, o chefe das Forças Armadas, marechal Castelo Branco, toma posse.

Castelo tinha relações amistosas com o general Vernon Walters, adido da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Depois de suas conversas com Castelo, ele se ocupava em enviar telegramas para os Estados Unidos, relatando o teor da conversa. Os textos dos telegramas são revelados no episódio.

O governo Castelo Branco recrudesce e dá início aos atos institucionais. O de número 2 extingue os partidos políticos e torna as eleições indiretas. E mais: prorroga o seu mandato. Em 1967, ele é substituído pelo general Costa e Silva, da chamada linha dura do Exército. O AI 5 é decretado no ano seguinte, e o Brasil entra no caos, “O AI5 foi uma revolução dentro da revolução”, declara o general Newton Cruz.

A repressão e a tortura dominavam o país. Militares  e estudiosos falam desse período. O brigadeiro Rui Moreira Lima, da Força Aérea Brasileira, declara: “Eu conheci um coronel, filho de um general, que veio de um curso de tortura no Panamá. Ele chegou e disse: agora estou tinindo na tortura, pega aí um cara pra eu torturar”.

Os Estados Unidos continuam em campo e Lincoln Gordon pede para o governo fortalecer ao máximo o regime militar brasileiro. O orçamento da embaixada cresce [em volume], como registra o historiador Carlos Fico, da UFRJ, um dos entrevistados de Flávio Tavares.

Informações
Tamanho:
271 MB
Audio:
Português-BR

—————————————————————————————————————————————————-

Flávio Tavares (pai), foi considerado “terrorista” e estava preso. Ficou preso até o dia em que outros “terroristas” seqüestraram o embaixador dos Estados Unidos e o trocaram por “brasileiros terroristas” que estavam atrás das grades. Camilo Tavares (filho), diretor e roteirista – 41 anos – nasceu fora do Brasil pois seu pai não pôde dar continuidade à vida cotidiana por aqui.

O filme-documentário é resultado de anos de pesquisa aqui e lá na nação Toda Poderosa. No filme fica claro que “comprar deputados” é prática muito antiga no Brasil  deputados corromperam-se, se venderam de novo, e continuarão a se vender sem nunca perguntarem sobre a origem do dinheiro que os está comprando. Sem nunca arguir sobre as consequências e sem atinarem com as consequências das exigências do poderoso patrão que lhes prende o rabo com o rico dinheirinho.

JAC

—————————————————————————————————————————————————-

John Kennedy: “Democrata lá, apoiador de ditadura aqui”  JAC

—————————————————————————————————————————————————-

Algumas pessoas, de pensamento igual ou muito parecido com estes que provocaram o fatídico “Dia que durou 21 anos” estão de volta, trinta e nove, quarenta anos depois. Alguns, aqui mesmo dentro do OP. Saiba identifica-los! JAC

—————————————————————————————————————————————————-

Aproveitem a oportunidade para verificar que a “história escrita nos livros” nem sempre conta toda a verdade, normalmente os livros mostram apenas a “versão dos fatos” que o sistema deseja que seja do conhecimento dos “financiadores do sistema”. NÃO FIQUE APENAS NO LERO-LERO QUE DEVERÁ SURGIR NESTE POST! PESQUISE!

JAC




8 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por regina helene de oliveira, em 17/04/2013 às 19:00

Interessante como o governo ptista está ouriçado com o que está vindo por aí.Não param de colocar em foco a ditadura militar .Óh´, ninguém sabia da CIA em 1964 agindo na América do Sul como ninguém sabe de Cuba agindo hoje.E na época Vargas ninguém sabia da União Soviética fundamentando Prestes. Tenha a santa paciência Jac !Chega do seu Lero Lero de vítima que nunca foi.

Por José Antônio da Conceição, em 17/04/2013 às 19:32

@reco Você está se superstimando bastante, não está Regina? Imaginar que aquilo que é publicado nesta plataforma é só para você e sua tuma, é muita pretensão e falta de modéstia!

Por regina helene de oliveira, em 17/04/2013 às 20:55

@joseantonio400 Ai Jac ,por que você foge da resposta como o Maluf?Ah esqueci-me de que ele está com vocês. Primeiramente e definitivamente eu não tenho turma.Detesto turma.Turma nos limita a um pensar único.Não nos permite a independência de pensar.Turma?Quem tem turma aqui é você:Leão,Obi e esquerdopatas vazios de argumentação racional e de concretizações libertadoras.Sou contra a tortura, contra a censura,contra o preconceito, contra a demagogia , contra a manipulação....bah! portanto este documentário recebendo tanta celebração não me cheira bem-não gosto de safadeza.Gostaria do documentário fora do contexto a que serve.

Por augusto josé sá campello, em 17/04/2013 às 17:46

Boa tarde. Assisti este documentário É bem feito. Documentário algum, na minha maneira de ver as coisas, conseguirá retratar com fidelidade o que aconteceu e acontece ainda hoje em decorrência destes 21 anos. Por obséquio não esqueçam que ainda carregamos o legado da era Vargas e mesmo de tempos mais recuados em nossa História. Todos os países do mundo que detinham algum peso e expressão política e econômica, naquela época e ainda hoje, não tiram os seus olhos ostensivos e velados do que ocorria e ocorre aqui. Nosso país, assim como muitos outros são vistos como celeiros, jazidas, prestígio, etc O que vocês acham que é feito dentro e fora das muitas embaixadas formais e informais e das salas da diretoria de empresas estrangeiras, multinacionais, transnacionais que estão e sempre estiveram aqui? O embaixador tal fez isto e aquilo? E os outros embaixadores, de outros países, fizeram e fazem o que? Não há inocentes neste grande jogo. Há, sim, perdedores. Pessoas que morrem e morreram, que foram torturadas e que ainda o são. Pessoas que tiveram suas vidas podadas enquanto atores de enésima linha neste carnaval macabro que é o jogo de cartas marcadas dos grandes interesses internacionais e nacionais. Não me conformo com isto. Não acho moralmente sustentável que uma seca iniciada a alguns anos -os marcadores meteorológicos estavam na cara, seja tratada como sempre foram as secas do nordeste. De forma imediatista e eleitoreira. Perpetuando a dependência , a miséria e o sofrimento indizível de milhões de concidadãos meus. Podem pensar que sou um velho sem noção. Que fica de brincadeira dizendo que : Vivemos tempos difíceis. E outras frases de efeito. Um velho que fica pasmo com o nível rasteiro de intervenções que vejo por aqui. Ajscampello

Por roberto argento filho argento, em 17/04/2013 às 14:27

Há, também um documentário no History Channel sobre a "Operação Condor"

Por milton valdameri, em 17/04/2013 às 14:01

Muito bom, principalmenta a parte que relata os justiçamentos, mas também gostei da parte que fala sobre o atentado ao aeroporto Guararapes e o assassinato a coronhadas de um tenente.

Por Obi Ser Vando, em 17/04/2013 às 13:54

para assistir ou baixar em http://docverdade.blogspot.com.br/2011/04/o-dia-que-durou-21-anos-2011.html

Por Obi Ser Vando, em 17/04/2013 às 14:20

<iframe width="640" height="360" src="http://www.youtube.com/embed/LjCr8g1i2IU?rel=0" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>