Opinião

Por Elza A. Cardoso, em 06/04/2013 às 23:15  

PAÍS QUE TEM LEVIANODOSKI NO STF,CANALHEIROS NO SENADO…

Tamanho da fonte: a-a+

“GENOÍNO” NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA, não precisa de mais nada…kkkkk E NINGUÉM FAZ NADA….
E A “OPOSIÇÃO” SE “CALLA”…
VIVA A URVNA ELETRÔNICA!
VIVA AS DIGITAIS DE SILICONE!!!
EITA PAÍSINHO DE “M” DA PESTE!
Ninguém se respeita mesmo…

http://revistaepoca.globo.com/tempo/noticia/2013/04/o-estranho-caso-do-ingles-que-lewandowski-mandou-prender-e-depois-soltar.html




12 opiniões publicadas

O que você tem a dizer?

Por augusto josé sá campello, em 08/04/2013 às 12:09

Boa tarde. Coisa triste. A invasão dos "agentes". Olha : informação além de ser poder, dá muito dinheiro. Quem se lembra da Dunn and Braadstreet? Você queria a vida financeira de alguém. Se fosse cliente e estivesse em dia com suas mensalidades, dias depois recebia....tudo. Era no tempo do papel. Hoje, ficou mais fácil. Bem mais fácil. Ajscampello

Por roberto argento filho argento, em 07/04/2013 às 19:20

Tem jeito não!, brasileirin, ao acordar, tem que acender duas velas: uma pra Deus (ajudar), outra pro Diabo (não atrapalhar), tem que dar nó em pigo d' água e o cacete a quatro. (mais vale um ".38" na mão que 2 "190" ) . . . Perdeu, Mané, Perdeu!!!

Por Ricardo Froes, em 07/04/2013 às 12:40

A lenda do 007 de araque. Acredite quem quiser. Suspeita-se que São Paulo esteja servindo de abrigo para um maçom e ex-membro do MI-6 (da sigla Military Intelligence, section 6). Também chamado de Secret Intelligence Service (SIS), o órgão cuida das atividades externas de espionagem britânica. O MI-6, que ficou famoso nos filmes de James Bond (o charmoso agente 007), virou tema de fofoca nos ambientes diplomáticos, jurídicos e maçônicos do Brasil. O “agente” em questão é o Honorável Doutor Michael Eugene Misick, de 51 anos. O negão foi premier, entre 2006 e 2009, de Turks & Caicos Islands, membro do Progressive National Party (PNP) daquelas ilhas caribenhas sob controle da Raínha Elisabeth. Bem na foto – no melhor e charmoso estilo Bond -, Misick posa junto de sua exuberante esposa, a atriz e estilista norte-americana LisaRaye McCoy-Misick – de quem teria se divorciado, após brigas públicas homéricas. Tido como Maçom, enquanto estava bem na fita com o Império Britânico, Michael Misick acumulava as funções de primeiro-ministro e governador com as de minister for Civil Aviation, Commerce and Development, Planning, District Administration, Broadcasting Commission, Tourist Board, Turks and Caicos Investment Agency, and Tourism. Em 2008, começou a cair em desgraça. A administração do British Overseas Territories começou a investigá-lo por corrupção. Em abril do mesmo ano, Misick virou alvo de investigação do FBI dos EUA, por outro motivo: foi acusado de abuso sexual contra uma cidadã norte-americana de Porto Rico. Misick não aguentou a pressão por muito tempo. Vazou de seu país depois de renunciar ao poderoso cargo em 23 de março de 2009. Em setembro de 2010, uma Comissão de Inquérito dominada pelos britânicos o acusaram formalmente de “possível corrupção e abuso de poder em suas antigas funções de premier”. Claramente, não havia provas concretas contra o político que intrigas especulavam ser “um espião inglês infiltrado”. Michael Misick se transformou em um dos homens mais procurados do mundo pela Interpol. Até que, no dia 7 de dezembro de 2012, acabou preso no Brasil. Estranho foi ele ter sido pego pela Polícia Federal quando tentava embarcar para São Paulo no Aeroporto Santos Dumont – onde a fiscalização da Interpol costuma ser menos intensa. O paradeiro dele já era rastreado há mais de um ano pela Interpol e pelos serviços de espionagem britânicos – que não perdoam ninguém e funcionam melhor ainda no mundo real que nos filmes do 007. No Brasil, começa o estranho caso do Honorável Doutor Misick (agora solto e escondido em algum lugar do Estado de São Paulo). Imediatamente após ser pego, Michael Misick teve seu mandado de prisão de estrangeiro expedido pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal. A base da decisão do STF foi um pedido feito pelo governo britânico em 22 de novembro. Na bronca contra Misick, além das suspeitas já levantadas no inquérito, surgiu a acusação de “formação de quadrilha”. O cara foi acusado de cobrar propinas de empresários interessados em instalar resorts nas ilhas Turks & Caicos... Teria recebido, em bancos nos EUA, a comissão de US$ 16 milhões – merreca que se juntou a sua fortuna pessoal estimada em US$ 180 milhões (valor condigno com o patrimônio secreto de alguns dos nossos mais notáveis mensaleiros...). No Brasil, certamente por suas relações maçônicas e por seu poderio econômico, Michael Misick logo contratou um poderoso e influente irmão para defendê-lo. O maçom e petista Luiz Eduardo Greenhalgh – que ganhou notoriedade transnacional na defesa do também maçom italiano Cesare Battisti (ex-terrorista e hoje vivendo numa boa no Brasil, por decisão do governo Lula, como assessor da Central Única dos Trabalhadores – a CUT aparelhada pelos petistas). Greenhalgh também é o advogado que mais conquistou indenizações para seus clientes autoproclamados “vítimas da ditadura militar” no Brasil... O Maçom Greenhalgh produz milagres jurídicos que só Grande Arquiteto do Universo poderia conceber. Por atuação do influente advogado, o mesmo Lewandowiski que prendeu Misick em 7 de dezembro e mandou soltá-lo no último dia 18 de fevereiro, após suspender o processo de extradição para a Inglaterra, contrariando pedido da Procuradoria-Geral da República. Lewandowski julgou que: “um indivíduo não pode ficar preso indefinidamente, sem prazo. Isso é inconcebível. É preciso respeitar as garantias individuais, Entre mantê-lo preso indefinidamente e soltá-lo, optei por um caminho intermediário. Ele está confinado ao Estado de São Paulo e sob vigilância da Polícia Federal”. Exatamente aí que a porca torce o rabo. Um dos chefes da Interpol no Brasil, o delegado federal Orlando Nunes, revelou à revista Época que tal vigilância da Polícia Federal não acontece na prática: "Não estamos monitorando se Misick cumpre as obrigações estabelecidas pelo STF. Ficamos de olho em qualquer notícias dele, já que está no Cadastro de Procurados da Interpol, mas não o monitoramento tão de perto”. Certamente, quem deve estar de olho em Michael Misick são seus “ex-colegas” da inteligência britânica. Os mesmos que andam por aqui no Brasil, participando de uma investigação internacional, feita a partir do Canadá, para identificar peixes grandes da lavagem transnacional de dinheiro. Semana passada, já vazou a informação de que uma poderosa figura do Poder Judiciário tupiniquim apareceria na listinha internacional de 13 mil pessoas envolvidas nos 12 mil movimentos de empresas com fortunas escondidas em Paraísos fiscais. Foram devassados 2,5 milhões de arquivos digitais – principalmente nas Ilhas Virgens britânicas, Cook e Cayman. Para não dar na pinta, foi oficialmente divulgado que tal trabalho de espionagem financeira foi promovido por um tal de “Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (ICIJ). Curiosamente, a missão foi patrocinada pelo Governo do Canadá - que faz parte da Comunidade Britânica - e nada custa lembrar que é a partir de Londres que a Oligarquia Financeira Transnacional exerce seu poder sobre todos os negócios capitalistas e capimunistas do Planeta. Os agentes do MI-6 estão na área... E estariam gostando nada da ameaça de investigação pelo Ministério Público Federal do Brasil na mais sofisticada empresa de inteligência financeira britânica por aqui: a Serasa-Experian. Sediada em Dublin, na Irlanda, a transnacional tem o maior banco de dados do mundo (fora dos EUA) sobre os consumidores (e cidadãos brasileiros). Na maioria dos casos, os britânicos nem precisam chamar o 007 para descobrir o que quiserem sobre alguém. Hoje, basta apertar um botãozinho nos computadores da Experian Ltd que sabe-se de tudo em tempo real... Quem não quiser entrar na dança dos espiões britânicos, é recomendável que procure um porto seguro – se é que ele existe no admirável novo mundo globalitário... Se eu fosse um ex-peão tomava cuidado com o espião...

Por Ricardo Froes, em 07/04/2013 às 11:12

Lawandowski é uma das criaturas mais abomináveis desses tempos petralhas. Não é à toa que ele só anda com um exército de guarda-costas.

Por mario jota, em 07/04/2013 às 09:45

Esses que conseguem ver como o`PT, Lula e companheirada não constroem o país, só destroem, serão os diferenciais para o Brasil do futuro. E como tem idiotas que admiram o apedeuta...............

Por Bruno Marques, em 07/04/2013 às 01:48

O Brasil sofre de um apagão de lideranças.... O Sr. Lula conseguiu fazer uma geração inteira perceber que é tudo farinha do mesmo saco! Obrigado Sr. Presidente!

Por José Antônio da Conceição, em 07/04/2013 às 00:58

Na verdade amiga Elza, quando você compra um livro que "marca e modifica sua maneira de pensar"... ALGO ACONTECEU! Mas nem o autor, nem você DETERMINARAM que seria assim que ia acontecer! As mudanças na HUMANIDADE ocorrem pelos caminhos que NUNCA IMAGINAMOS! (Parar de lutar? NUNCA!)

Por José Antônio da Conceição, em 07/04/2013 às 00:53

Obrigado pela resposta ao e-mail, amiga Elza! Pense um pouco: "sempre aconteceu assim"! Quem está influenciando alguma coisa, NUNCA SABE que está fazendo isso e nem sabe as consequências VERDADEIRAS do seu trabalho! A humanidade tem o péssimo costume de RECONHECER o trabalho de algum ser humano DEPOIS QUE O CORPO DESTE SER ESTÀ SEPULTADO! Aqueles que conseguem FAMA durante a vida, nem sempre transformam esta FAMA em coisas boas para a humanidade: Não vou citar NOMES para não ser injusto com algum deles! Devemos CONTINUAR NA LUTA! O julgamento (julgamento verdadeiro e quase definitivo) daquilo que fazemos DIFICILMENTE aparecerá enquanto vivermos! Abraços!

Por Elza A. Cardoso, em 06/04/2013 às 23:17

Só dando uma "passadinha" por aqui...

Por José Antônio da Conceição, em 06/04/2013 às 23:46

@zazamir Para com essas "passadinhas"! Se todas as pessoas de bem fizerem isso, "aqueles" tomam conta do pedaço! Estou le enviando e-mail! Não deixe de responder!

Por Elza A. Cardoso, em 07/04/2013 às 00:11

@joseantonio400 "Fidel não pode, simultaneamente, defender os direitos humanos e preservar a ditadura. Uma alternativa apenas deve ser seguida pelo “meio paranóico”." Quando a gente pensa que "já viu de tudo..."kkkkkkk

Por Elza A. Cardoso, em 07/04/2013 às 00:02

@joseantonio400 Vou abrir meu e-mail agora! Abraços. kkkkkkk.....