Opinião

Por , em 30/05/2013 às 01:40  

ACM Neto decreta o atestado de óbito de Salvador

Tamanho da fonte: a-a+

O prefeito ACM Neto divulgou hoje um pacote de medidas de mudanças no trânsito de Salvador. Sou o que se chama na Bahia de “carlista” (contribuinte normal, que prefere ver seu dinheiro gasto de forma menos pior pelo grupo de ACM e herdeiros do que por João Durval, Fernando José, Lídice da Matta, Waldir Pires, Nilo Coelho e João Henrique). Mas não me deixo seduzir pela mera divisão bipolar da política baiana. O errado continua sendo errado. E o certo, um horizonte distante da nossa amada cidade.

O pacote de medidas de mudanças no trânsito de Salvador traz alguns (muitos) equívocos, os quais elencamos agora:

- Congestionamento não se resolve com aumento do fluxo das vias principais. Congestionamento se resolve com menor uso das vias principais, e maior capacidade de evacuação destas. A velocidade média da via é consequência, não causa. Ao invés de se fechar saídas marginais, como se fez no passado com a Av. ACM e a entrada dos bairros Narandiba e Cabula VI, e se fará no presente com o bairro Stiep e a via Paralela-Orla da Paulo VI (sobrecarregando a Av. Magalhães Neto), dever-se-ia aumentar as saídas marginais, para que os veículos ficassem o menor percurso possível na mesma via.

- Fechar retorno, converter mãos duplas em mãos únicas, só se resolve com construção de viadutos de retorno, como foi feito na LIP à época da construção do Salvador Shopping. Querer usar a mesma estrutura de forma mais restritiva em termos de circuito força os carros a ficarem mais tempo na via (por mais quilômetros) e, logo, mais congestionamentos. Saídas marginais e aumento do número de retornos diminuem a velocidade média da via, mas aumentam a sua velocidade real (diminuindo o congestionamento nos pontos de escoamento).

- O transporte público tem papel fundamental nisso. Devem existir corredores rodoviários, com linhas-tronco ligando estações de transbordo, e todas as demais linhas de transporte munidas apenas por vans e micro-ônibus, impedindo a circulação de ônibus de grande porte em ruas com sinaleiras ou ruas com menos de 3 pistas (ou seja, todas as existentes exceto Orla, Paralela, Luís Eduardo e Bonocô).

- A prefeitura deve sim investir na construção de passarelas na Orla e na Paralela, e desapropriar terrenos que permitam a construção de vias marginais para escoamento de trânsito. Ainda, a isenção total de tributos municipais sobre edifícios-garagem nas proximidades de centros comerciais e estações rodoviárias também ajudaria no desafogamento da ocupação irregular de nossas vias urbanas.

Prefeito ACM Neto, por favor, cancele o Pacote de Medidas de Mudanças no Trânsito de Salvador, e se permita pensar um pouco fora da caixa, e dar à nossa cidade um conjunto de medidas que realmente deem algum resultado.

Obrigado!




Nenhuma opinião publicada

O que você tem a dizer?