Opinião

Por Gabriel Rossi, em 04/04/2014 às 16:01  

50 anos do Golpe: Ditadura nunca mais

Tamanho da fonte: a-a+

O ambiente que propiciou o golpe militar de 31 de março de 1964 era marcado por turbulências políticas e econômicas – a inflação chegava a 80%. Com o golpe veio a mão pesada da ditadura que se instalou pelas duas décadas seguintes. Foi um período de excessos que, infelizmente, algumas pessoas fazem questão de esquecer que existiu. Um exemplo foi a realização da nova versão da “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, realizada no fim de março deste ano. O grupo, minúsculo é verdade, queria relembrar a marcha anticomunista e de apoio ao golpe militar realizada há 50 anos em 19 de março de 1964.

Claro que é triste e esdrúxula a situação atual do país e da sociedade brasileira, pois, além da corrupção descarada (mensalão, Petrobrás, doleiro etc.), carecemos de base ética/moral, liderança política e planejamento estratégico. Porém, jamais posso concordar com a mais tímida ideia de uma nova ditadura.

O conceito de liberdade vem antes do conceito de justiça. Simplesmente porque com liberdade podemos lutar por justiça, sendo que o contrário muitas vezes não é verdade. A liberdade é o ar da existência do homem contemporâneo. O direito de falar, existir sem amarras. Claro que, com o aparelhamento dos poderes e do eleitor (cada vez mais dependente de programas assistencialistas), vivemos uma espécie de ditadura eleitoral, mas pensar em ajoelhar novamente para militares é no mínimo um pensamento primitivo e que não pode voltar.




Nenhuma opinião publicada

O que você tem a dizer?