Opinião

Por xicograziano, em 01/09/2014 às 10:47  

A crise existencial do Gilberto Carvalho

Tamanho da fonte: a-a+

Marina Silva divulgou na última sexta feira (29/8) seu programa de governo. Muitos o acharam meio atucanado, por mostrar forte compromisso com a estabilidade econômica. Tudo bem. A conferir, objetivamente, seu conteúdo. Mas aí, logo no calor da notícia, vem o ministro Gilberto Carvalho e diz que o documento representa “uma volta à era FHC”. Eu não entendi direito: seria uma crítica, ou um elogio?!
Confesso que, de cara, odiei esse papo do Gilberto Carvalho. Ele, como bom representante dos petistas babacas, não se cansa em desmerecer o ex-presidente Fernando Henrique e, agora, seguindo seu guru eleitoral, incessantemente o provoca para a briga, tencionando desviar o verdadeiro debate político, sobre o futuro, que interessa ao país. Mas, pensei: deixa prá lá, ficar perdendo tempo com essa gente.
Depois, juro que me deu certa compaixão. Fiquei, no fundo, com dó do Gilbertinho. Deve ser difícil ter que ficar repetindo como idiota uma ordem política e, ao mesmo tempo, engolir o crescente prestígio de FHC na sociedade. Pior, agora que a foice do voto popular se aproxima para os degolar do poder, eles que nele se julgavam eternamente encastelados, devem todos estar entrando em crise existencial.
Ao final, perdi a raiva e me livrei da dó. Achei melhor simplesmente esquecer o Gilberto Carvalho. Deixa ele continuar falando suas bobagens, sobre FHC ou sei lá o que. Nada mudará o sentido da mudança que se aproxima, que o tornará um desconhecido na história. Inexiste pior castigo aos enganadores que o desprezo.




Nenhuma opinião publicada

O que você tem a dizer?