Opinião

Por xicograziano, em 14/10/2014 às 11:41  

Marina valoriza a democracia

Tamanho da fonte: a-a+

Acusaram Marina Silva, mês passado, de mudar de opinião sobre certos temas nacionais. Antes, pensava de um jeito, depois estava diferente. Achei, na época, exagerada a crítica. Embora contivesse certo oportunismo, na verdade a mudança expressava um amadurecimento político dela, uma melhor compreensão da realidade. Afinal, pessoas vivazes, frente a argumentos novos, alteram seus pontos de vista. Somente não muda de opinião quem é inflexível, sabichão, autoritário. Vale na ciência, serve na filosofia de vida, acontece na política. Alguns incautos antes também haviam acusado FHC pelo mesmo motivo. Viram-no “esquecer o que escrevera”. Ao contrário. Procurar o novo, avançar, sempre foi de FHC a maior virtude intelectual e política, de alguém que jamais se acomoda ao raciocínio do passado. O movimento das ideias precisa acompanhar a evolução da sociedade.
Agora, os mesmos dogmáticos condenam Marina por apoiar Aécio Neves. Puro despeito. Ela mostrou coerência e coragem pois, derrotada no primeiro turno, cedeu ao menor e salvou o projeto maior, que também é dela, de mudar a política do Brasil. Percebeu a importância histórica de seu gesto. Tomou posição de forma transparente, fruto da mais legítima negociação política. O debate político, livre e fundamentado, sempre ajuda na construção de melhores caminhos. Nesse processo de diálogo, respeitoso, ocorre o salutar reposicionamento das ideias. Ao forçar o debate, e ao se submeter aos seus desdobramentos, Marina Silva valorizou a democracia. Foi grandiosa.




Nenhuma opinião publicada

O que você tem a dizer?